terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Tá explicado: Alergia !

Eita piscina gostosa !

Bem como eu mencionei antes a Samy tava com diarréia hà vários dias, os exames não deram nada , então eu lembrei que as diarréias começaram com a introdução de um novo alimento : a gema de ovo . Segui a orientação do pediatra e dei somente um pedacinho da gema , foi o suficiente pra desencadear novamente a alergia da Samantha ao leite de vaca . Resumindo , estou proibida novamente de tomar leite de vaca por causa da amamentação e a Samy não volta a experimentar gema de ovo até completar um ano . É , filhota , já era seu danoninho ( de vez em quando eu dava peti suisse pra ela).

Ela melhorou bastante tinha perdido peso ,mas , já tá recuperando . Tadinha da minha gatinha deve ter sentido dores de barriga, como ela não costuma chorar nem resmungar , pensei que estava tudo bem , mas agora vejo que não . É outra criança , tá mais brincalhona e sorridente , esperta que só vendo. Aprendeu a estalar a língua pra chamar o cachorro, fica um bom tempo treinando a novidade , ontem eu acordei e ela estava no berço estalando a língua ...uma figura ! Depois de muitos papás finalmente tá treinando falar mamã , ás vezes sai , outras não , não sei se é mamãe que ela tenta falar ou se é mamar , mas não tô nem aí , ela só fala mamã pra mim , aguenta coração ...

Um pouco sobre o problema da Samantha:
Alergia ao leite da vaca
Muitas mamães não devem entender como pode uma criança ter alergia ao leite. Tenham calma. A alergia não é ao leite materno, e sim à proteína encontrada principalmente no leite de vaca.
Um bebê alérgico à proteína do leite de vaca e que está em aleitamento materno exclusivo pode apresentar sintomas de alergia caso a mãe se alimente de leite de vaca e seus derivados.
O motivo é simples: a proteína alergênica passa para o leite materno e chega até o bebê causando alergia. Basta a mamãe evitar esse tipo de alimentação que a alergia do bebê passará.
Esse tipo de alergia ocorre em 2 a 5% das crianças e normalmente inicia-se após o desmame. Com o tempo, o sistema imunológico desenvolve tolerância à proteína do leite.
Ao fim do primeiro ano, 50% das crianças não apresentam mais alergia, 75% aos dois anos e próximo a 90% com 3 anos de idade. As crianças que ficam alérgicas após os três anos de vida têm a tendência de ficar alérgica por mais tempo.
As causas da alergia à proteína do leite de vaca são predisposição genética (quem tem histórico de alergia na família é mais vulnerável a ter também), introdução precoce de alimentos alergênicos, como
leite de vaca e ovo, sem que o sistema digestivo do bebê esteja preparado para recebê-los. Os bebês têm o sistema imunológico imaturo e dependem muito dos anticorpos do leite da mãe.
Como combater a alergia - A amamentação exclusiva até os seis meses de vida do bebê prepara o bebê para receber os novos alimentos. É o período que o sistema digestivo amadurece e o sistema imunológico recebe os anticorpos da mamãe, já produzindo a própria defesa também.
Os sintomas são diversos e por isso o diagnóstico da alergia é tão difícil. Ocorrem reações no sistema gastrointestinal (cólica, vômitos, diarréia), na pele, como vermelhidão e coceira, no sistema respiratório (espirro, tosse, nariz escorrendo), irritabilidade, infecção no ouvido, choque anafilático, entre outros.
Os sintomas podem ocorrer imediatamente ou até várias horas ou dias após a ingestão do leite. Quanto mais rápida é a reação, mais fácil de fechar o diagnóstico.
O tratamento da alergia consiste em retirar da alimentação a proteína causadora da reação. Em bebês não se pode “experimentar” alimentos substitutos que podem não causar a alergia. O ideal é ir direto para fórmulas que contenham proteínas hidrolizadas recomendada pelo médico. Essas fórmulas têm um custo elevado, mas com grande probabilidade de resolver o problema.
Já em crianças maiores de dois anos, pode-se introduzir alguns alimentos substitutos do leite de vaca, entre os quais o leite de soja.
Existem alguns testes que são realizados para diagnosticar a alergia, como a supressão do alimento - retira-se o leite da alimentação, depois que os sintomas melhorarem reintroduz o alimento e verifica se os sintomas reaparecem. Caso isso aconteça, a alergia está diagnosticada. Há os testes de pele e de sangue.
Se houver necessidade de retirada do leite da alimentação da criança, procure orientação médica e nutricional para que o leite seja substituído por outros alimentos que sejam fonte de cálcio e vitaminas encontrados no leite de vaca.
Dicas
Amamente seu bebê exclusivamente até os seis meses de vida. Mamãe que se alimenta de derivados do leite da vaca, podem “passar” a alergia ao filho no leite materno.
Caso o desmame seja necessário, faça-o sempre com orientação médica.
Alergia ao leite de vaca não é o mesmo que intolerância à lactose. Intolerância é causada pela falta de enzima no intestino que digere o açúcar do leite, isto é, a lactose.

4 comentários:

Juliana disse...

Oieee
Que chato essa alergia!! Mas pode ser que não seja para sempre. Minha prima teve mais ou menos da idade da Sam mas desde a infância não apareceu mais até hoje.
A foto está linda!!Ela é muito fofa!!!!
O bom é que agora vai melhorar da diarréia e ganhará peso novamente!
Beijinhos pra vocÊs!!

Edneia disse...

Oi Flor, nossa como a Sami esta gordinha :))), e lindaaaa, graças a Deus não tive esse problema do leite com os filhotinhos, tadinha dela deve ter sentido colicas intestinais...Tem promoção da Pampes no blog. Participa??

Beijo grande

Eliane disse...

Nossa!!! Que delícia! Tá muito fofa essa menina!
Essa alergia passa com a idade, meu sobrinho também teve alergia a leite de vaca e hoje nào tem mais nada!
Beijos,
Eliane e André

Anônimo disse...

MEU FILHO DE 1 ANO E 7 MESES TEM ALERGIA A LEITE DE VACA E OVO; NAO POSSO NEM PENSAR EM DAR NADA, POIS ATE MESMO ALGO QUE ENCOSTAR NA PELE JA FICA VERMELHO... APESAR DISSO ELE É SUPER SAUDAVEL, PESA 15K E TEM 88CM;

LEILA CAROLINA
24/06/2009

 

Eternamente Mãe | Desenvolvido por EMPORIUM DIGITAL